domingo, 2 de agosto de 2015

A ciência lista 7 desvantagens do namoro online


O lado bom de usar um site ou aplicativo de namoro online é óbvio: é uma maneira fácil de encontrar várias pessoas, para possíveis encontros, sempre que quiser. Mas será que toda essa quantidade e conveniência se traduz em qualidade? Nem sempre. 


Já que 38% dos americanos solteiros na atualidade buscam pelo amor online, há agora toda uma investigação científica que nos dá um pouco mais de perspectiva. Esses sites e aplicativos provavelmente percorreram um longo caminho desde que o Match.com foi lançado como site de namoro online, em 1995, mas os estudos estão mostrando que ainda há motivos de sobra para você ficar longe do seu smartphone e tentar conhecer a pessoa da sua vida de forma tradicional.

Aqui nós resumimos algumas desvantagens do namoro online, que podem fazer com que você queira se esforçar mais em conhecer alguém na vida real.
1. Todo esse vai-e-vem na tela do smartphone pode fazer você olhar para futuros pretendentes - ou seja, para as pessoas - como se elas fossem mercadorias.

Uma análise abrangente dos sites de namoro online, de 2012, descobriu que ter acesso a uma oferta aparentemente infinita de perfis "pode fazer com que indivíduos pensem em potenciais parceiros como se eles fossem commodities. "Nessa situação é muito fácil que as pessoas se tornem demasiado exigentes - as mulheres às vezes podem ser consideradas indesejáveis por qualquer imagem de perfil que elas escolherem (sério mesmo).


2. Um número ilimitado de opções significa que você pode vir a ter dificuldades em encontrar alguém disposto a se comprometer.

Três palavras: paradoxo da escolha. Ter uma piscina ilimitada de possíveis candidatos não só pode fazer as pessoas se sentirem menos satisfeitas com a sua decisão final, como também pode fazer com que elas paralisem e não façam nenhuma escolha. Na verdade, a já mencionada análise de 2012 constatou que quem busca parceiros online está menos disposto a formar família e se comprometer a uma única pessoa enquanto existirem opções ilimitadas e, literalmente, na ponta dos dedos, um sentimento que 32% dos usuários da internet reproduziram em uma pesquisa do Centro de Pesquisas Pew, de 2013.


3. Esses algoritmos de compatibilidade, oferecidos nos sites de namoro, não são tão eficazes como parecem.

Uma possível limitação, de acordo com o texto da análise crítica de 2012, é que os sites não têm nenhuma maneira de saber como as pessoas vão agir uma vez que elas já conheceram as suas combinações, já que os questionários reúnem informações sobre os solteiros antes deles serem "matched" (combinados). Fatores como padrões de comunicação, capacidade de resolver problemas e compatibilidade sexual são cruciais para prever o sucesso ou o fracasso dos relacionamentos", mas essas coisas não podem ser capturadas (ainda) pelo algoritmo que foi utilizado antes do primeiro encontro.


4. A comunicação online, antes de conhecer a pessoa na vida real, pode acabar por criar expectativas irrealistas. 

Conversar online antes de conhecer a pessoa pode parecer uma ótima maneira de eliminar os matches, porém há um "ponto crucial" no qual toda essa informação em excesso pode prejudicar a sua vida amorosa, de acordo com um estudo de 2014. Os resultados sugerem que conversar online através de chats por mais de 17 dias, sem conhecer pessoalmente, pode levar a uma grande decepção, já que as pessoas tendem a preencher as lacunas das informações sobre o parceiro em potencial, com qualidades que elas gostariam que ele tivesse.

Conhecer a pessoa após 17 até 23 dias do contato inicial, ao que parece, é o pior momento, porque é quando as "idealizações estão no auge", de acordo com o líder dos pesquisadores, Artemio Ramirez Jr., professor adjunto na Universidade do Sul da Flórida.


5. Perfis bem elaborados não fornecem informações sobre como essas pessoas realmente são.

Se você quiser descobrir quais solteiros também gostam de fazer escaladas ou curte filmes de Godard, então o namoro online é ótimo.

Se você quer descobrir quais desses solteiros são generosos ou têm senso de humor, então é provável que você tenha que sondar isso pessoalmente. Um estudo de 2008 descobriu que sites de namoro online são bons apenas para selecionar parceiros em potencial com "atributos pesquisáveis", como renda ou religião, em vez de "atributos experienciais", como a afinidade. Considere estes dados a partir dos próprios namoradores online: uma pesquisa de 2013, do Centro de Pesquisas Pew descobriu que 54 por cento deles sentiam que "alguém fez uma apresentação seriamente falsa de si mesmo no seu perfil."

6. Já mencionamos os trolls?

Os trolls se escondem em todos os cantos da Internet e os sites de namoro online não são uma exceção. O Centro de Pesquisas Pew descobriu que 28 por cento dos que buscavam um relacionamento online foram contatados nesses sites ou aplicativos, de forma que "fizeram eles se sentirem incomodados ou desconfortáveis". Quando eles restringiram essas informações por gênero, eles descobriram que colossais 42 por cento de mulheres, que buscavam um encontro online, tinham sido assediadas. Nossa.

7. Namoro online não é um jeito infalível de conseguir encontros na vida real.

Um terço dos que procuram relacionamentos online disseram ao Centro de Pesquisas Pew, em 2013, que eles não tinham ido a um encontro na vida real, cara a cara, com os seus matches. Ninguém tem tempo para isso.

No fim das contas, nada disso significa que as pessoas não devam tentar conhecer alguém online ou que o namoro online é pior do que os meios tradicionais, onde há uma sintonia com alguém pessoalmente. Apenas que estas descobertas podem ser úteis enquanto você navega tanto no confuso mundo do namoro online como da vida real.

Nenhum comentário:

Postar um comentário