sábado, 8 de agosto de 2015

Aumento da violência marca os sete meses do governo Paulo Câmara


Ano
Janeiro
Fevereiro
Março
Abril
Maio
Junho
Julho
TOTAL

2015
323
324
334
323
311
266
297
2178
+166
2014
257
261
311
297
321
308
257
2012
Tabela de Homicídios 2014/2015 Fonte: http://www.sds.pe.gov.br/ - SDS/INFOPOL
Com 40 mortes a mais em julho, Estado chega aos 2.178 homicídios este ano. São 166 a mais nestes sete primeiros meses, comparado ao mesmo período de 2014
Recife - O número de assassinatos em Pernambuco voltou a crescer em julho em relação ao mesmo período do ano passado. Dados obtidos junto ao Portal da Secretaria de Defesa Social (SDS/Infopol) mostram que no último mês o Estado registrou 297 homicídios. Em julho de 2014, este índice foi de 257 assassinatos, ou seja, ocorreram 40 mortes a mais, representando um aumento de 15,5%. Nos sete primeiros meses de 2015, já são 166 mortes acima do registrado em 2014.
De acordo com o líder da bancada, deputado Silvio Costa Filho (PTB), a ampliação no número de homicídios reforça que há uma tendência de aumento da violência no Estado verificada também em estatísticas como o índice de assaltos a agências bancárias e caixas eletrônicos (crescimento de 80%, de acordo com o Sinpol) e a ônibus (41,7% casos a mais no primeiro semestre, segundo informa a SDS).
“Houve uma frustração de expectativas. Quando aguardávamos que o número de homicídios pudesse voltar a cair, a exemplo do ocorreu no último mês de junho, tivemos mais esta notícia negativa, com um aumento significativo de assassinatos em Pernambuco em julho. Isto mostra que o Pacto pela Vida passa por uma crise”, lamenta Costa Filho.
Segundo Silvio, a gestão estadual não colocou ainda em prática um plano de recuperação do Pacto pela Vida, por deixar de chamar a sociedade para o debate e não valorizar a contribuição dos profissionais de segurança pública. “A atual gestão deixa de aplicar os princípios que nortearam a criação do Pacto. Hoje, a sociedade é excluída do debate, e os policiais civis e militares demonstram cada vez mais insatisfação e indignação com a condução da segurança pública estadual”, afirma.
Costa Filho lembra que policiais civis e militares têm reivindicado uma política de valorização profissional e denunciam o número reduzido de efetivo, a sobrecarga de trabalho e a falta de equipamentos adequados para enfrentar a criminalidade.
Para o parlamentar, o Estado precisa apresentar um plano de como pretende reduzir a tendência de aumento da violência. “Para isto, sugerimos que o Estado lidere uma discussão com todas as entidades e profissionais interessados em retomar o Pacto pela Vida. A Bancada de Oposição se coloca à disposição para este debate”, finaliza.
Assessoria de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário