quarta-feira, 16 de setembro de 2015

AUMENTA NÚMERO DE CASOS DE CHIKUNGUNYA EM PERNAMBUCO

Subiu para 13 o número de casos de chicungunha (chikungunya) registrados em Pernambuco. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde nesta quarta-feira (16). Os seis novos casos da doença foram comprovados a partir de exames laboratoriais, segundo o órgão. Até agora, já foram notificados 216 casos suspeitos de chicungunha (chikungunya) em todo o Estado este ano. Deste total, 172 já foram descartados.

Dos casos confirmados, em pelo menos dois pacientes o vírus foi importado da da Bahia. As ocorrências foram notificados em Iguaraci. Outros nove casos com transmissão autóctone (vírus transmitido dentro do Estado). As ocorrências foram notificados em Iati (8) e Recife (1). A secretaria ainda investiga a linha de transmissão de outros 2 casos registrados em Olinda (1) e Itaíba (1). 

“A SES já está, junto às secretarias de saúde municipais, realizando ações de bloqueios nos municípios que têm casos confirmados, assim como nas cidades vizinhas, ampliando o nosso raio de atuação. As ações consistem tanto no tratamento casa a casa, ou seja, intensificando as visitas às residências, como os bloqueios com uso de bombas motorizadas costais e carros de fumacê”, comentou a coordenadora do Programa de Controle da Dengue e Chikungunya da SES, Claudenice Pontes.

TRANSMISSÃO - Assim como o vírus da dengue, a chikungunya é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. As pessoas que contraem o vírus tendem a apresentar febre acima de 38,5 graus, de início repentino, e dores intensas nas articulações de pés e mãos – dedos, tornozelos e pulsos. Além disso, pode ocorrer, também, dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele. Cerca de 30% dos casos não chegam a desenvolver sintomas.  A Secretaria de Saúde alerta que o controle do mosquito é a ação mais importante, pois as pessoas podem ter chikungunya e dengue ao mesmo tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário