segunda-feira, 23 de novembro de 2015

ARMANDO MONTEIRO CONSIDERA QUE O PAÍS ESTAR VIVENDO UM PROCESSO DE AJUSTES

 
 O senador licenciado e ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto (PTB), concedeu entrevista ao radialista Jairo Gomes que foi transmitida no programa Cidade em Foco das rádios Farol FM, Filadélfia FM e Colinas FM.
 O Ministro falou do início da obra de construção de uma ponte no município de São Caetano no Agreste de Pernambuco, que na opinião dele, era uma obra sonhada há muito tempo pela população daquela cidade.
 Outro evento destacada por Armando Monteiro, foi à inauguração de uma fabrica de louças sanitárias também em São Caetano.
 “Fico feliz em testemunhar o empreendedorismo de um são-caetanense que inaugura uma unidade de louças sanitárias gerando emprego no município... O Brasil precisa de exemplos como esse, por tanto, eu me congratulo com o povo de São Caetano mais uma vez e quero me colocar sempre através do Ministério da Indústria e Comércio a disposição dos empreendedores de Pernambuco para que a gente possa abrir novos caminhos nos mercados externos, exportação e uma serie de coisas que poderemos oferecer para fortalecer o setor empresarial do estado”, enfatizou.
 Sobre a crise econômica, o Ministro Armando considerou que o país estar passando por um processo de ajustes e que esse processo poderia ter sido mais rápido se tivesse havido uma maior compreensão do Congresso Nacional.
 “O Congresso já permitiu que nós aprovássemos grande parte das medidas, algumas ainda precisam ser completadas, mas percebo que logo-logo e a minha avaliação é que no segundo trimestre de 2016, o Brasil já volte a crescer”, considerou.
 Armando informou que tem visitado vários países do exterior para abrir novos caminhos para o comércio brasileiro, pois segundo ele, quando o mercado nacional estiver vivendo um momento que não é tão favorável, é necessário que se venda para o comércio do exterior.
 “Eu tenho andado pelo mundo, procurando o mercado para as empresas brasileiras, porque quando o mercado interno fica mais fraco, a gente tem que arrumar venda fora do país, pois quando se arrumar exportação a gente gera emprego no Brasil e mantém ou amplia a geração de emprego já existente”, destacou.
Ouça a entrevista: Do: Blog Agreste Notícia

Nenhum comentário:

Postar um comentário